FACEBOOK

X

ANOS ANTERIORES

AGENDA 2017

 

O presente curso surge a partir de uma lacuna ainda existente na formação inicial e continuada de grande parte dos profissionais da saúde mental: a relação entre a subjetividade e as relações raciais. O curso se pauta pelo pressuposto de que o sujeito psíquico é sujeito do\de grupo, isto é, a subjetividade é fundada, sustentada e moldada a partir dos vínculos intersubjetivos que os sujeitos estabelecem entre si e a partir de uma configuração social, política, jurídica e histórica. Assim sendo, ela é constituída a partir dos vínculos que estabelece com o outro, com as circunstâncias atuais e passadas e com as expectativas que tece (COSTA, 2012). Entretanto, os sujeitos golpeados pelo racismo têm suas malhas vinculares parcialmente trincadas, têm dificuldade de encontrar apoio nas produções culturais e sociais e, por isso mesmo, não raramente fazem uso de mecanismos defensivos numa tentativa de manter certa integridade psíquica, o que os pode levar a certa ruptura consigo e com o seu grupo. Embora devamos ter em conta que a forma como cada um(a) ou cada coletividade lida com os acontecimentos traumáticos pode variar notadamente, de maneira geral, marcas subjetivas ficam; e, a depender do impacto, da dor sentida, poderão ser consciente ou inconscientemente transmitidas para outras gerações e para os contemporâneos (op. cit.). Estes elementos configuram-se como grande desafio ao(à) profissional da saúde mental, uma vez que as relações raciais raramente são objeto de reflexão em sua formação e prática. De maneira geral, a formação de psicólogos ainda está centrada na ideia de uma humanidade universal e de um desenvolvimento do psiquismo humano igual entre os diferentes grupos racializados. Assim como as categorias de classe e de gênero são fundamentais na constituição do psiquismo humano, a categoria raça também o é. No entanto, a produção teórico\conceitual existente na psicologia, que aborda as relações étnico raciais no Brasil, não costuma estar presente no currículo das instituições de formação e ensino. Este curso tem justamente por proposta colaborar com a diminuição dessa lacuna por meio da promoção de aprendizagens que articulem os saberes elaborados historicamente acerca dos processos das relações raciais, seu impacto na subjetividade e na construção de estratégias de desconstrução do racismo interiorizado.

Objetivo: Oferecer à(ao) discente acesso a conhecimentos que possibilitem a compreensão e a intervenção nos processos intra/interpsíquicos, grupais e institucionais visando o enfrentamento do racismo.

Público: Psicólogas(os) e demais profissionais que atuam na saúde mental.