FACEBOOK

X

ANOS ANTERIORES

AGENDA 2018

 

O presente curso se justifica a partir de uma lacuna ainda existente na formação inicial e continuada de grande parte dos(as) profissionais da saúde mental: a relação entre subjetividade e relações raciais. A formação se pauta pelo pressuposto de que o sujeito psíquico está necessariamente em contexto e, portanto, as bases de sua dimensão psíquica são influênciadas por sua trajetória, pertencimentos, contexto sócio-histórico, identidades, classe, gênero e, sobretudo, a sua posição na teia das relações raciais, entre outros aspectos.

Esse é um grande desafio, uma vez que a formação em saúde mental ainda está centrada na ideia de uma humanidade universal e de um desenvolvimento do psiquismo humano igual entre os diferentes grupos racializados. Não se trata aqui de retomar os pressupostos racialistas e biologicistas oriundos do século XIX mas sim, ao contrário, analisar as influências do racismo sobre a subjetividade dos indivíduos, permitindo ao profissional dessa área uma escuta qualificada e um repertório teórico e conceitual mais amplo que o permita apresentar ao seu público algumas estratégias de elaboração.

Este curso tem justamente por proposta colaborar com a diminuição dessa lacuna por meio da promoção de aprendizagens que articulem os saberes elaborados historicamente acerca das relações raciais, seu impacto na subjetividade e na construção de estratégias de desconstrução do racismo e seus efeitos psicossociais.

Objetivo: Oferecer à(ao) discente acesso a conhecimentos que possibilitem a compreensão e a intervenção nos processos intra/interpsíquicos, grupais e institucionais visando o enfrentamento do racismo.

Público: Psicólogas(os) e demais profissionais que atuam na saúde mental.